Mensagem Final do Encontro e Assembléias
Novas diretrizes para a Igreja e Instituto
 | leia mais | 

Confira o detalhamento das resoluções tomadas nas assembléias e Encontro realizado em Mauá, na comunidade Céu da Montanha/RJ.

Prezada Irmandade,

Saúdo a todos com grande satisfação e com um profundo agradecimento, em primeiro lugar a Deus, e em seguida aos membros da nossa Diretoria, aos veteranos e novos que continuam irmanados e trabalhando em prol da nossa missão. E também ao povo da comunidade Céu da Montanha que hospedou nosso feitio e nossas reuniões e todos os representantes e participantes do nosso Encontro.

Agora apresentamos as propostas que foram aprovadas nas Assembleias Ordinárias e Extraordinárias das nossas instituições: a Igreja do Culto Eclético da Fluente Luz Universal Patrono Sebastião Mota de Mel - ICEFLU e o Instituto de Desenvolvimento Ambiental Raimundo Irineu Serra - Instituto CEFLURIS. Agora em 2012 estamos finalizando a Reforma Administrativa iniciada há 15 anos atrás, implementando um processo de Reengenharia Institucional, que prevê as seguintes atividades;
1. Seguindo as recomendações das autoridades e dos especialistas, direcionamos toda a gestão associativa para a instituição religiosa (ICEFLU), migrando o cadastro de sócios e filiados do Instituto. A partir do dia 01 de setembro do presente ano, todas as contribuições associativas, doações e fichas de visitantes, assim como as contribuições de campanhas assistenciais, serão centralizadas na Conta da ICEFLU: Banco do Brasil, Agencia 814-1, Conta Corrente 11217-8, CNPJ 04814183/0001-30. A partir de setembro será distribuído, para as secretarias e tesourarias locais, material com informações detalhadas da parte operacional do processo.
2. A ICEFLU, como instituição religiosa, continua com a responsabilidade pela produção, distribuição e abastecimento do Sacramento, assim como a formulação e implementação das diretrizes doutrinárias e da gestão associativa.
3. O Instituto CEFLURIS focará suas atividades na promoção do desenvolvimento local integrado e sustentável das comunidades, dos povos tradicionais da Floresta Amazônica e demais ecossistemas, conforme estabelecido nos seus objetivos estratégicos. Continuará atuando na mobilização de recursos para o desenvolvimento sustentável  das comunidades e ecovilas, articulando alianças e parcerias com o poder público, a iniciativa privada e outras organizações da sociedade civil.
4. Com a migração das mensalidades, o Instituto conservará no seu quadro social todos os sociós filiados atualmente,  na categoria de sócios simpatizantes. A partir desta renovação, o Instituto  iniciará campanha de esclarecimento e conscientização para aumentar o grau de participação e compromisso dos afiliados e novos membros. Assim serão criadas as categorias de sócios contribuintes e sócios cooperantes, para aqueles que firmem o vínculo associativo.
5. Ficou estabelecido, por consenso, uma contribuição inicial opcional de R$ 5,00 de mensalidade para a categoria de sócio contribuinte e de R$ 10,00  para sócio cooperante do Instituto, de acordo com o compromisso e aceitação de cada sócio. Ficando a organização aberta também para receber as contribuições de recursos materiais e de trabalho voluntário, dos associados e parceiros.
6. Lembramos que o Instituto já conta com o reconhecimento das autoridades e da sociedade em geral, pelo relevante trabalho que vem desenvolvendo, com ações efetivas de inclusão social, geração de renda, educação e preservação ambiental, organização e desenvolvimento comunitário.
7. Com o foco na sustentabilidade o Instituto promove atividades de educação ambiental e  preservação do meio ambiente (tais como coleta seletiva de lixo, reciclagem etc.) em parceria com a AMVCM (Associação dos Moradores da Vila Céu do Mapiá), na construção de um modelo inovador de ocupação e uso do solo na Floresta Amazônica, trazendo benefícios sociais e econômicos (COOPERAR)  para as comunidades tradicionais, ribeirinhas e indígenas da amazônia brasileira.
8. A partir das decisões de nossas assembleias de Mauá, nossas instituições ( ICEFLU e Instituto CEFLURIS) pretendem consolidar os seguintes instrumentos de gestão e governança associativa:
•    Planejamento Estratégico
•    Plano Orçamentário
•    Sistema Informatizado de Gestão Financeira
•    Transparência, prestação de contas e auditoria.
•    Manuais de gestão da secretaria e tesouraria
•    Código de Ética

9. Estas medidas exigem a reforma dos Estatutos das duas instituições, o que está sendo objeto de estudos. Para um maior alinhamento no sentido de atender o princípio da legalidade, devemos formular novos instrumentos  de ordenamento institucional, tais como: regimento interno, termos de referência, termos de compromisso, etc. Tudo isto será objeto de estudo da Comissão de Transição escolhida pela Assembleia, que contará com a assistência técnica, jurídica e contábil para a implementação da Reengenharia Institucional que foi aprovada.

Fica portanto nosso convite à compreensão e participação de todos os irmãos e irmãs da nossa Doutrina e simpatizantes do nosso movimento.

Padrinho Alfredo
Diretoria do Instituto CEFLURIS
Diretoria da ICEFLU